iNGRESSO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

O escotismo pretende ser inclusivo, dentro das possibilidades e da realidade de cada grupo escoteiro. Nem todos os grupos escoteiros contam com a mesma estrutura (a maioria funciona em espaços cedidos por alguma instituição).

Quanto à equipe de voluntários, poucos atuam profissionalmente em áreas diretamente relacionadas à educação de pessoas com deficiência. Somos pessoas de diversas origens e profissões que doam seu tempo, gratuitamente, ao Movimento Escoteiro. Buscamos fazer o nosso melhor apesar de nossas limitações de tempo, idade e formação.

Por causa disso, temos algumas condições para o ingresso de pessoas com deficiência em nosso Grupo.

Confira abaixo!

Os pais (ou o responsável legal) deverão ingressar no Grupo!

Escotismo é um método educacional que conta com a participação dos pais (ou do responsável legal). Não basta simplesmente levar seu filho ao Grupo e voltar à tarde para buscá-lo. É você que se associa aos Escoteiros do Brasil: seu filho é o beneficiário dessa associação. 

Em se tratando de pessoas com deficiência, a presença dos pais (ou do responsável legal) é condição para sua admissão. Essa prsesença é exigida em todas as atividades e durante todo o tempo de realização das mesmas. No ato de registro o pai (ou o responsável legal) assinará conosco um termo de compromisso.

Em caso de recusa, também nós do Grupo Escoteiro não poderemos aceitar o registro da pessoa com deficiência.

Cada caso é... um caso!

É óbvio que existem diferenças, principalmente relacionadas à autonomia da criança ou do adulto com deficiência!

Por causa disso, uma prévia entrevista com os pais, a busca de aconselhamento com especialistas e a avaliação de toda a equipe de voluntários que atuará diretamente com a criança será necessária.

Precisamos entender se temos condições, dentro de nossa realidade, de oferecer atividades interessantes e seguras ao seu filho ou, em se tratando de adulto, como ele poderá contribuir com o Grupo.

Se se trata de um adulto com deficiência que pede para entrar no Grupo, alguns fatores a mais serão considerados:

  • O tipo de deficiência

  • O grau de autonomia

  • A capacidade de interação com os membros juvenis

  • Além, é claro, da documentação habitualmente exigida para o registro de adultos no grupo, dentre outras.

É sempre bom levar em consideração que o adulto no movimento escoteiro tem a função de educador, não a de beneficiário do Programa Educativo.

Não somos babás!

É comum recebermos a visita de pais que desejam registrar seu filho no Grupo Escoteiro com a intenção de "livrar-se" dele por algumas horas e ter algum tempo de paz. Diante de um problema eles tentam transferí-lo para terceiros.

 

Apesar de sabermos como é duro o dia-a-dia de pais de crianças com deficiência (pelo menos em alguns tipos de deficiência) o Escotismo não é uma espécie de clube ou creche!  Se esta for a sua intenção, busque outras soluções: associações de pais de crianças com o mesmo tipo de deficiência do seu filho; escolinhas esportivas; cuidadores, etc. É justo que você procure um momento de descanso (e isso não significa que você não ame seu filho), mas não é justo transferir o problema pra gente!

A atitude que esperamos de um pai de criança com deficiência (ou de um adulto com defiência) é a de querer contribuir efetivamente para a educação da criança atuando no grupo em alguma função (pai de apoio, escotista, dirigente) e, assim, partilhar a responsabilidade com toda a equipe de voluntários!

Lembre-se: será uma honra receber seu filho, desde que você nos honre com sua presença também!